Logo PeixeseAquarismo.com

Caramujo de aquário – Tipos, reprodução, equipe de limpeza.

Todos já tivemos peixes em nossos aquários, mas já pensou em diversificar a fauna do seu aquário com outros tipo de animais? Caramujos são uma ótima opção nesse caso.

Os caramujos de aquário tem várias cores e padrões diversos, além de ter muitas funções positivas dentro do seu ambiente aquático. Eles ajudam a diminuir a quantidade algas dos mais diversos tipos. Também se alimentam de peixes e plantas mortas, reduzindo o acumulo de matéria orgânica em decomposição. Além disso, como se reproduzem rapidamente, servem como alimento para outros animais, como alguns peixes, deixando seu aquário ainda mais como um ecossistema vivo e sustentável.

Caramujos são bons ou ruins para o aquário?

Como dito acima, caramujos podem ser muito benéficos para o aquário, além de acrescentar cores e beleza a qualquer aquascape. Mas eles também podem se tornar um problema.

O principal lado negativo de alguns caramujos é a grande capacidade para superpopulação. Algumas espécies, em especial as que vêm com as plantas, tendem a se reproduzir em excesso se encontram as condições ideais para isso (excesso de comida por exemplo). Os caramujos podem se tornar tão abundantes, que é impossível olhar qualquer canto do aquário sem avistar dezenas deles.

Além disso, alguns caramujos podem se alimentar de plantas vivas. Quase todos eles se alimentam de plantas mortas, porém certas espécies atacam até mesmo plantas saudáveis. Isso acontece mais facilmente quando não existem outras fontes de alimentos em abundância. No entanto, a maior parte dos caramujos disponíveis para comprar, não apresentam esse comportamento e são totalmente seguros para suas plantas.

Conhecendo bem os tipos de caramujos e também como controlar a população, é possível eliminar esses pontos negativos do animal. Nas próximas seções você verá como identificar as espécies de caramujo e também como aumentar ou diminuir a quantidade deles no seu aquário.

Tipos de caramujos para aquário:

Existem muitas espécies de caramujos adequadas para aquários. Elas variam de acordo com tamanho, cor, hábitos alimentares, dentre outros fatores. Algumas das espécies mais comuns no aquarismo são: Ampulárias, Ramshorn, Neritina, Trombeta e Physa.

Na hora de escolher as espécies que você irá inserir no seu aquário é importante considerar principalmente a taxa de reprodução e tamanho. Além da sua preferência quanto a comportamento e beleza, é claro.

Ampulárias (Pomacea Diffusa, Pomacea Canaliculata)

São a espécie de caramujo mais popular no hobby, do gênero Pomacea. Também são conhecidas como corbícula, mas essa definição é equivocada, já que corbícula é um outro tipo de molusco.

Ampulária
Guia Definitivo do Betta
Guia Definitivo do Betta

Dentre as espécies de Ampularídeos, as mais comuns são: Pomacea Diffusa e Pomacea Canaliculata. É importante diferenciar as duas espécies por um simples motivo: a Pomacea canaliculata se alimenta de plantas vivas e podem acabar com um aquário plantado. Já a Pomacea Diffusa não comerá plantas vivas, se tiver qualquer outra fonte de alimento (como algas ou restos de ração). Por esse motivo, se você tem um aquário com plantas, é extremamente recomendado que opte pela Pomacea Diffusa.

Diferenciando Pomacea Diffusa e Pomacea Canaliculata: É recomendável perguntar na loja de aquarismo onde você pretende adquirir a ampulária, qual é a espécie e se ela come plantas. Nas melhores lojas, alguém saberá te informar.

Caso isso não seja possível, é possível fazer a diferenciação de acordo com o formato da concha:

Pomacea diffusa vs Pomacea canaliculata

Ramshorn: (Planorbella Duryi)

Os caramujos dessa família são perfeitos para aquários plantados, pois não tocam nas plantas (exceto as mortas) e ainda consomem algas, restos de ração, dentre outros detritos.

Caramujo Ramshorn

São muito interessantes devido as variações de cores, sendo as mais famosas a Red Ramshorn e Blue Ramshorn. No Brasil a maior parte dos caramujos Red Ramshorn são do gênero Biomphalaria, e não os verdadeiros Ramshorn (do gênero Planorbella). No entanto em termos de aparência e comportamento são muito parecidos.

Já os caramujos Blue Ramshorn vendidos no país são da espécie Planorbella duryi, ou seja, ramshorns verdadeiros.

Blue Ramshorn

Assim como acontece com qualquer caramujo, é preciso tomar cuidado com a reprodução do animal. A taxa de multiplicação deles não é tão grande quanto as do Physa ou Trombeta, mas caso haja excesso de material orgânico no aquário, você pode enfrentar uma infestação. Portanto, caso não deseje um aquário lotado de Ramshorns, cuidado com detritos em excesso.

Neritina: (Neritina virginea, Neritina zebra)

Esses caramujos são excelentes no controle de algas, são pequenos mas causam um estrago nas algas. Temos duas espécies principais comercializadas nas lojas: Neritina virginea e Neritina zebra.

Caramujo Neritina

São famosos por seus padrões e cores variados e suas conchas brilhantes. A variedade Zebra tem o padrão de faixas nas suas conchas (que dão o nome a espécie). Então, além de serem ótimos caramujos algueiros, ainda acrescentam muita beleza ao aquário.

Neritina

Eles têm um grande problema, no entanto. Costumam depositar ovos brancos por todo o aquário, que precisam ser removidos manualmente. Esse pontos brancos são muito chamativos e incomodam muito alguns aquaristas.

Trombeta: (Melanoides tuberculata)

Esse caramujo tem um visual exótico e ajuda muito no controle de algas e material orgânico perdido pelo aquário. Têm hábitos noturnos, então costumam se locomover pelo aquário após as luzes serem apagadas.

Caramujo trombeta

É extremamente tolerante a diversas faixas de Ph e temperatura, sendo um caramujo extremamente resistente. E esse pode ser o maior problema da espécie.

Em aquários com excesso de detritos, eles facilmente explodem em números, causando uma infestação descontrolada. E devido a sua resistência a faixas de ph e até a certas substâncias usadas no controle de moluscos, é muito difícil acabar completamente com a infestação. No entanto, controlando a quantidade de alimento disponível para eles, é possível trazer a população de volta a números aceitáveis.

Na maior parte das vezes, não são comprados pelos aquaristas, e acabam vindo junto com plantas compradas para aquários plantados.

Physa: (Physidae)

Uma das espécies de caramujo mais comuns no aquarismo. Quase sempre entram nos aquários como uma espécies invasora, que pegam carona em plantas que não foram esterilizadas antes de serem colocadas no aquário.

Caramujo Physa

Não atacam as plantas e se alimentam de algas e detritos, principalmente. São perfeitos para aquários plantados, mas muitos aquaristas não gosta da espécie em função do seu visual comum. Mas caso você deseje ter um aquário plantado com um visual natural, esses animais ajudam muito a conseguir esse objetivo.

Se reproduzem com facilidade e como quase todo caramujo, pode ser tornar um problema caso os caramujos encontrem muito comida disponível, gerando superpopulação.

Alimentação para caramujos

Em relação aos caramujos, a alimentação costuma ser uma das partes mais fáceis na hora de criá-los. Os caramujos de aquário são animais detritívoros, ou seja, se alimentam de qualquer resíduo orgânico que se deposita no aquário, como restos de ração e animais mortos. Além disso, eles são excelentes algueiros. se alimentando dos mais distintos tipos de algas. principalmente das moles, como algas verdes e marrons.

Muitos aquaristas, também oferecem proteína vegetal para os caramujos, afim de os deixar mais saudáveis e incentivar reprodução. Isso pode ser feito introduzindo fatias de batata ou pepino por exemplo.

Também é possível alimentá-los com rações para peixes de fundo, eles aceitarão facilmente qualquer tipo de ração.

Você pode encomendar na Amazon diversas rações de fundo:

Bottom Fish 150gr Nutricon

Reprodução de caramujos de aquário

Caramujos costumam se reproduzir com muita facilidade em aquários. É muito mais comum encontrar aquaristas com problemas para se livrar dos caramujos, do que para os reproduzi-los. Em todo caso, isso não é verdade para todas as espécies.

Os caramujos ramshorn, physa e trombeta se reproduzem com muita facilidade, e se o aquarista não tomar cuidado, pode acabar com com uma infestação no aquário. Não é necessário muito esforço para reproduzir essas espécies, apenas mantenha uma fonte de alimentação, que a reprodução irá ocorrer naturalmente.

As ampulárias também se reproduzem com facilidade, se você mantê-las em condições ideais. Ou seja, ph neutro para alcalino, temperatura entre 25 a 29 graus e bastante alimentação. Elas não são hermafroditas, então você precisa pelo menos um macho e uma fêmea no aquário. Após a fecundação, a fêmea procura uma área seca perto do aquário (por exemplo, parte do vidro fora da água) e deposita seus ovos, fixando uns aos outros. Fazendo assim uma estrutura que parece uma colmeia. As pequenas ampulárias surgem dentro de 1 a 4 semanas.

Ovos de ampulária

O caramujo neritina não se reproduz na água doce. Eles são originalmente de água salobras, por tanto sua reprodução é muito mais difícil e raramente aquaristas conseguem esse resultado em casa.

Controlar ou eliminar caramujos do aquário

Muitas vezes o aquarista não adiciona caramujos no o aquário voluntariamente. Eles acabam vindo através de outros itens adicionados, como por exemplo rochas e plantas.

Mas mesmo quando eles são adicionados intencionalmente, devido a sua grande capacidade de reprodução, podem se tornar em um problema. Grandes infestações deixam o aquário esteticamente degradável, como também podem até alterar os parâmetros da água, devido a superpopulação.

Muitos métodos podem ser usados para controlar e eliminar os caramujos em um aquário. Alguns são específicos para certas espécies, enquanto outros valem para qualquer caramujo.

Métodos para reduzir população de caramujos:

  • Controlando a reprodução de Ampulárias: Essa espécie é uma das mais fáceis de controlar. Como eles se reproduzem criando uma estrutura semelhante a uma colmeia, caso não queira mais caramujos no aquário, basta remover a estrutura antes dos ovos eclodirem.
  • Caso não queira nenhuma reprodução, invista em Neritinas: Se você quiser controlar exatamente o número de caramujos no seu aquário, a melhor opção é ter caramujos neritina.
  • Reduza matéria orgânica no aquário: Caramujos só explodem em população caso tenham alimento suficiente para isso. Isso significa que quanto mais detritos no aquário, mais chance deles se reproduzirem. Portanto capriche nas trocas parciais de água, sifone o substrato se possível e nunca deixe matéria orgânica se decompondo.
  • Adquira peixes que comem caramujos: Alguns peixes são famosos por comerem caramujos. Para tratar esse problema de uma maneira muito natural, compre peixes como botias e mocinhas, eles vão reduzir grandemente a quantidade de caramujos, deixando a população em equilíbrio.
  • Use armadilhas para caramujos: Para ajudar a diminuir a população de caramujos, é interessante remover o máximo que você conseguir. Uma sifonagem no substrato ajuda a conseguir esse objetivo. Mas um jeito mais fácil e eficiente é usar armadilhas para caramujos. Essas armadilhas são construídas de maneira que os caramujos consigam entrar, mas não sair. Usando todo dia, em pouco tempo você terá uma redução significativa na quantidade de caramujos no aquário.
  • Usando produtos para eliminar caramujos: Existem uma série de produtos no mercado para matar caramujos. No entanto, é recomendável usar os outros métodos, e só tentar os produtos, caso não se obtenha sucesso com os métodos anteriores. Os produtos moluscicidas (como o Mol-rem da Atlantys) costumam ser eficientes, porém também podem impactar outros animais como camarões e lagostins. Outro grande problema é que ao matar todos os caramujos do aquário ao mesmo tempo, a decomposição dos animais pode causar um pico de amônia, o que prejudica muito a fauna do seu aquário. Sendo assim, após o produto matar os caramujos, tente remover todos que encontrar e execute TPAs com mais frequência, para não deixar a amônia acumular.

Prevenir aparecimento de caramujos indesejados

Qualquer objeto que entre no seu aquário pode trazer algum habitante indesejado. Isso é especialmente verdade no caso das plantas. Aquários plantados tendem a ter uma grande incidência de caramujos não desejados, isso ocorre porque toda e qualquer planta que você adiciona tem um grande potencial de ter ovos de caramujo, ou até mesmo caramujos adultos, escondidos nas raízes ou folhas.

Mas então todo aquário plantado necessariamente vai ter caramujos? Não, caso você não queira de jeito nenhum caramujos no seu aquário, você vai ter que desinfetar cada uma das plantas antes de coloca-las no aquário. Você pode fazer isso usando o produto Clean da Labcon (link da Amazon). Ele remove caramujos e até patogêneos que podem adoecer seus peixes.

Cansado de perder peixes? De ter seu aquário dominado por algas? Quer saber como virar um profissional na arte do aquarismo? O Curso de Aquarismo Completo Aquaon tem tudo que é preciso para montar e manter um aquário de dar inveja. Ainda é oferecida uma garantia de 7 dias para devolução, caso não fique satisefeito.

Curso de Aquarismo AquaOn

Publicado em 14 set, 2020

Autor: Rodrigo Matos é aquarista a mais de 20 anos, com dezenas de aquários montados a longo dessas duas décadas. Sua especialidade são aquários plantados, porém têm experiência com aquários marinhos, ciclideos, criação de neocaridinas, bettas, nanos, dentre outros. Atualmente está focado na criação de neocaridinas e em aquários densamente plantados.

Categorias:

Mais sobre Invertebrados >

ÚLTIMOS ARTIGOS >

Aquário Ácido
Como abaixar o pH do aquário: Veja como deixar seu aquário ácido
Água Doce
Aquário
Como elevar o pH do aquário: Aprenda a deixar o pH alcalino
Água Doce
Aquário e aquapaisagismo
Aquapaisagismo: O que é, estilos e como começar.
Água Doce
TPA
Troca parcial de água: Como limpar seu aquário?
Água Doce
Peixes em Aquário
Veja mais de 150 Nomes Para Peixes de Aquário e escolha o seu
Iniciante
Peixe Palhaço
Peixe Palhaço – Guia Completo com fotos. Aprenda como cuidar da espécie.
Peixes de Água Salgada