Logo PeixeseAquarismo.com

Quantos lumens por litro para aquário plantado?

Não há dúvidas que a iluminação é um dos principais fatores no crescimento e multiplicação das plantas no aquário. No passado usávamos a regra de watts por litro para escolher quais lampadas usar, mas com a invenção de novos tipos de lampada, a regra ficou obsoleta. Entenda agora a melhor forma de medir a necessidade de luz do seu aquário.

A melhor maneira de medir a quantidade de luz para o seu aquário é com a regra de lumens por litro (lm/L), que deve variar entre 20 e 60 lumens por litro. Para aquários com plantas de baixa exigência, 20 lm/L é suficiente. Já plantas de exigência média precisam entre 30 e 40 lm/L. Agora plantas exigentes precisam de por volta de 60 lm/L. Caso tenha plantas de altíssima exigência, como algumas espécies de plantas vermelhas, idealmente se deve ter entre 60 lm/L e 90 lm/L. Vamos analisar agora alguns exemplos práticos.

Tabela da Regra de Lumens

A tabela a seguir explica como calcular a quantidade de lumens necessária para seu aquário, dependendo da quantidade de litros e das plantas que você tem.

Tipos de plantaQuantidade de Lumens
Baixa Exigência20 lm/L
Média ExigênciaEntre 30 e 40 lm/L
Alta Exigência60 lm/L
Altíssima Exigência90 lm/L
Guia Definitivo do Betta
Guia Definitivo do Betta

Exemplos práticos de cálculo de lumens por litro:

Para facilitar o entendimento da regra, vamos pensar em alguns cenários e calcular a quantidade de lumens necessários para cada um:

  • Cenário 1 – Aquário de 36 Litros tendo apenas plantas pouco exigentes
    Neste cenário, temos um aquário pequeno, que possui apenas plantas de baixa exigência, como anúbias, microssorum e musgo de java.
    Sendo assim podemos usar a regra de lumens para plantas de baixa dificuldade (20 lm/L).
    36 X 20 lm/L = 720 lm
    Ou seja, para ter as plantas deste aquário, você necessita de uma iluminação que gere 720 lm. Esse valor pode ser alcançado com uma ou duas lâmpadas led de bulbo.
  • Cenário 2 – Aquário de 144 Litros tendo plantas pouco exigentes
    Esse cenário se assemelha muito ao anterior, mudando apenas a litragem do aquário.
    Então precisamos usar a mesma regra (20 lm/L).
    144 X 20 lm/L = 2880 lm
    Chegamos a um número bem mais levado que o anterior, porém ainda é muito fácil chegar nesse fluxo luminoso com lampadas led de bulgo ou tubulares.
  • Cenário 3 – Aquário de 36 Litros com plantas exigentes.
    Agora vamos considerar a iluminação em um pequeno aquário plantado com plantas de dificuldade elevada. Temos nele um carpete (Cuba) e Elatine triandra em certas partes, além de algumas plantas menos exigentes.
    Nesse caso, temos que mudar a regra utilizada. Devido ao uso de plantas exigentes a regra é 60 lm/L.
    36 X 60 lm/L = 2160 lm
    Apesar de ser um aquário exigente, a litragem pequena também possibilita usar até mesmo lampadas leds de bulbo na iluminação.
  • Cenário 4 – Aquário de 144 Litros com plantas exigentes.
    O último cenário consiste de um aquário de tamanho razoável, com carpete e plantas exigentes como Helanthium tenellum.
    Podemos usar a mesma regra do cenário anterior, devido ao uso de de plantas difíceis.
    144 X 60 lm/L =8640 lm/L
    Neste nível, já começa a ficar difícil atingir a iluminação ideal com lampadas de bulbo. Algumas alternativas poderiam ser lampadas tubulares, ou até mesmo alguns refletores leds, que costumam ter um bom desempenho e são muito mais baratos que luminárias especializadas.

Também é possível comprar luminárias para aquário diretamente da Amazon:
SUNSUN LUMINARIA ADE-200C 12W
Luminária LED 15W X7 Preta para Aquário

Por que não se deve usar mais watts por litro?

Como citamos mais acima, no passado era utilizada a regra de watts por litro, que consistia das seguintes faixas: aquários high tech 1 watt por litro e aquários low tech 0,5 watts por litro. Eu mesmo utilizei esses valores como referência por muitos anos e obtive bons resultados com minhas plantas. Mas por que essa regra não vale mais?

Na verdade, essa regra sempre foi uma aproximação, que devia ser usada com bastante cautela. Esse cuidado era necessário porque cálculo podia variar bastante, caso você usasse uma lampada incandescente ou uma lâmpada tubular T5 de high output. Cada tipo de lampada acaba tendo uma eficiência energética diferente, portanto lampadas com o mesmo número de Watts, podem acabar iluminando o aquário de maneiras muito diferentes. Mas na época, com as opções disponíveis no mercado, essa regra costumava ser uma boa opção que funcionava na maioria dos caso.

O problema é que hoje em dia, temos tantas opções de iluminação (Leds de nulbo, leds tubulares, lâmpadas eletrônicas, tubulares, refletores e etc), que essa aproximação ficou ainda mais propensa a erros. As lâmpadas de led, por exemplo, tem eficiência energética muito maior que as incandescentes, ao ponto de alguns modelos de 17W led serem equivalentes a 100W incandescentes. Então não podemos dizer que para um aquário de 100 litros, podemos usar tanto uma incandescente de 100W quanto uma led de 100W. A de led certamente estaria absurdamente excessiva, causando um surto de algas e um grande desperdício de energia.

Por isso, na hora de escolher sua iluminação, sempre use a regra de lumens ao invés da regra watts.

Não se esqueça de checar a temperatura de cor

Apesar desse guia ser sobre quantidade de lumens por litro, é preciso fazer um pequeno lembrete. Não adianta nada ter 1000 lumens por litro, se a temperatura de cor não for adequada para plantas aquáticas. Estar na faixa apropriada com relação a esta medida é tão importante quanto a quantidade de lumens. Existe alguma polêmica sobre qual o valor ideal para aquários plantados, já que as lâmpadas disponíveis no mercado do aquarismo chegam a variar de 3000K até 18000K. Porém, atualmente a temperatura de cor mais recomendada seria entre 6500K e 7000K.


Isso garantiria que suas plantas estariam absorvendo a maior parte dos comprimentos de onda presentes na luz branca. O que é fundamental para fotossíntese, deixando as plantas mais saudáveis e vistosas. Além de iluminar seu aquário com uma cor que vai ressaltar os tons naturais de todos os elementos do seu aquário.

Por outro lado, caso você esteja muito acima, ou muito abaixo desse valor pode enfrentar uma série de problemas como: excesso de algas, problemas de desenvolvimento, plantas muito baixas, plantas muito altas, dentre outros. Mais um ponto importante sobre usar lampadas fora desse espectro, é que eles vão alterar a tonalidade do seu aquário, podem fazer com que observe seus peixes e plantas com uma tonalidade mais azulada ou avermelhada. Se essa for sua intenção, também é possível misturar os espectros de cor. Então você poderia ter uma quantidade de luz a 6500K e adicionar algumas lampadas abaixo ou acima, apenas com a intenção de dar a tonalidade desejada, mas tenha cuidado, porque o excesso de luz é um grande causador de algas.

A iluminação é um dos fatores mais importantes para um aquário

E para finalizar, lembre que a iluminação pode fazer seu aquário ser um sucesso ou um fracasso. Passe o tempo necessário projetando seu sistema de luz. É melhor gastar seu tempo (e talvez dinheiro) nessa preparação inicial do que ficar preso por meses ou anos com um aquário que não se desenvolve, tem plantas fracas e não se assemelha em nada a sua visão inicial para ele.

Lembre-se também que o aquário é um ambiente vivo, a mesma regra não vale exatamente da mesma forma para todos os aquários. Use as informações como um guia, mas não tenha medo de adaptar o seu sistema de iluminação as necessidades específicas do seu ecossistema aquático.

Cansado de perder peixes? De ter seu aquário dominado por algas? Quer saber como virar um profissional na arte do aquarismo? O Curso de Aquarismo Completo Aquaon tem tudo que é preciso para montar e manter um aquário de dar inveja. Ainda é oferecida uma garantia de 7 dias para devolução, caso não fique satisefeito.

Curso de Aquarismo AquaOn

Publicado em 12 Maio, 2020

Autor: Rodrigo Matos é aquarista a mais de 20 anos, com dezenas de aquários montados a longo dessas duas décadas. Sua especialidade são aquários plantados, porém têm experiência com aquários marinhos, ciclideos, criação de neocaridinas, bettas, nanos, dentre outros. Atualmente está focado na criação de neocaridinas e em aquários densamente plantados.

Mais sobre Água Doce >

Aquário Ácido

ÚLTIMOS ARTIGOS >

Aquário Ácido